Página 79 - Revista Tecno

Versão HTML básica

O poder do relaxamento
Pesquisas revelam que consumidores gastam cerca de 15% a mais quando estão relaxados. Isso porque, assim, eles
estão mais focados em sua decisão de compra, o que causa um impacto positivo no processo. Para ajudá-los a ficarem
mais relaxados, varejistas devem se concentrar em melhorar o ambiente de suas lojas e em comunicar os benefícios
dos produtos e serviços – não apenas as características. Estacionamento e facilidade de se chegar à loja também são
pontos que podem ajudar nesse sentido.
A marca na vida digital do consumidor
Ninguém gosta de fila, certo? Mas essa pode ser uma excelente oportunidade de aproveitar ao máximo a sede dos
consumidores por informações. Se eles estão esperando o ônibus, o avião ou mesmo seu pedido ser servido em um
restaurante, estão, muitas vezes, em seus smartphones e potencialmente abertos a ideias e sugestões. As marcas estão
criando jogos para ocupar esse tempo, para anunciar ofertas e criar um espaço de marketing ao lado de e-commerce.
As pessoas passam cada vez mais tempo em computadores e celulares, fazer parte da vida digital do consumidor será
uma etapa importante para fortalecer o relacionamento com ele.
União do online e offline
Cada mensagem que você envia a seus consumidores é um portal para sua marca e sua loja – seja no on ou no offline.
O e-commerce pode facilmente apontar quais são os produtos mais vendidos. Ao compartilhar essa informação no
interior da loja física, você pode aumentar as chances de vendas dos produtos “top”. Esse é um exemplo de como os
varejistas precisam pensar de forma integrada sobre o comportamento do consumidor, conectando online e offline.
Comunicação como um serviço
As marcas estão entendendo, cada vez mais, a importância de ajudar seus consumidores por meio de ferramentas di-
gitais. Muitos varejistas têm utilizado, por exemplo, aplicativos móveis para entender as preferências dos consumi-
dores, aumentando a eficiência dos processos de vendas.
Tendências digitais
Na área digital, o varejo tem muito a ganhar com o avanço da tecnologia. Avaliando os principais temas abordados na
National Retail Federation (NRF, maior evento mundial de varejo, realizado em janeiro, nos Estados Unidos), reunimos
a seguir as principais tendências para o varejo online:
Multicanais
O conceito de multicanal (omnichannel), que diz respeito à integração entre canais online, dispositivos móveis e a loja
física, não é exatamente novo. Mas essa é uma tendência que se fortalece cada vez mais, justamente por conta do
desenvolvimento da tecnologia. Cada vez mais os próprios consumidores são multicanais - estão conectados no com-
putador, no celular, no tablet - inclusive, enquanto fazem compras. Por isso, estar presente em todos esses canais será
uma necessidade cada vez maior para as lojas do varejo que querem atrair e reter seus clientes.
Big Data
Essa pode parecer uma tendência muito longe de sua realidade, mas não é bem assim. O big data, ou seja, o conjunto
de informações de seus consumidores, pode ser obtido, muitas vezes, de maneira simples. Seja por meio de pesquisa
em mídias sociais, por exemplo, ou por formulários de cadastros com solicitação de dados dos clientes. Conhecer seu
público será cada vez mais importante para se comunicar com ele de maneira mais direcionada, oferecendo exata-
mente o que ele busca, com um atendimento personalizado e muito mais efetivo. O big data é fundamental para esse
processo.
Crescimento do online e fortalecimento da loja física
Uma das grandes tendências apontadas na NRF é o fortalecimento das lojas físicas. Até certo tempo atrás, muitos
apontavam que o crescimento do comércio online iria acabar com as lojas de rua. Na prática, não é isso que está
acontecendo - pelo contrário. Mesmo com a evolução do e-commerce, cada vez mais as lojas físicas ganham grande
importância, no sentido de oferecer experiências e atendimento especiais. Tanto é que grandes empresas de comércio
online - como a Amazon - começam a abrir suas lojas físicas. É importante ficar atento ao fortalecimento e-commerce,
sem esquecer de que a experiência dentro da loja ainda tem profunda relevância para o processo de compra do con-
sumidor atual.
79